Bolsonaro fala sobre BRICS e relações com a Rússia em coletiva de imprensa

Bolsonaro fala sobre BRICS e relações com a Rússia em coletiva de imprensa

Durante o café da manhã em que se deu a coletiva de imprensa a jornalistas estrangeiros em 19 de Julho no Palácio do Planalto, o Presidente Jair Bolsonaro respondeu a perguntas diversas, incluindo acerca dos encontros dos Chanceleres e dos Presidentes dos Países BRICS em Julho e Novembro, respectivamente, e sobre as relações bilaterais com a Rússia.

O Presidente afirmou estar aprofundando discussões com sua a equipe econômica sobre o BRICS, e antes da Cúpula de Novembro daria uma posição mais detalhada sobre o assunto.

Segundo o Presidente, no agrupamento BRICS – Brasil, Rússia, Índia, China, África do Sul – Brasil e a África do Sul seriam os países mais pobres, juntamente com a índia. Assinalou que vem analisando com seus assessores sobre a melhor inserção do Brasil no grupo, e como veem o futuro do BRICS.

O Presidente entende que não existe nenhum viés ideológico subentendido em relação aos BRICS, ”ao contrário do MERCOSUL”, segundo acrescentou.

Intervindo, o Ministro Onyx Lorenzoni acrescentou que ”o Brasil tem o maior programa de concessões e privatizações do mundo, não havendo paralelo em nenhum outro país do mundo”. E sublinhou: “sendo muito claro, parcerias para ferrovias, rodovias, portos, aeroportos, linhas de transmissão e geração de energia elétrica e fotovoltaica, serão muito bem vindas junto aos países BRICS. Como China e Rússia são grandes compradoras de commodities no Centro-Oeste, é de interesse que esses países facilitem o escoamento dos produtos, para que cheguem aos destinos com mais rapidez, e com menos custo“, finalizou.

Ao correspondente, Ivan Kartashov, da Rossiyskaya gazeta, que perguntou ao Presidente sobre o desenvolvimento das relações bilaterais com a Rússia, também em áreas sensíveis, como a energia nuclear, Bolsonaro respondeu que “tem um profundo respeito pelo Presidente Putin, e pensar haver uma boa impressão entre ambas as partes, e que o Brasil está de braços abertos para o desenvolvimento das relações econômicas”, ressaltando que deve haver o “espírito de parceria, inclusive no (grupo) BRICS”.

Bolsonaro acrescentou não haver nenhum viés ideológico, como existia antigamente, dando a entender que está aberto para incrementar o comércio com a Rússia. Finalizando, disse que “a Rússia é bem vinda, e que espera sua ajuda para resolver as questões com a Venezuela”.

Ao Correspondente da agencia Xinhua, que indagou da possibilidade sobre uma ordem mundial mais justa e equilibrada no âmbito do BRICS, Bolsonaro respondeu que “primeiramente, não se afastaria da China, como a imprensa disse, e que gostaria de agregar mais valores ao comércio bilateral”.

Leave a comment

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *