Centro Cultural de São Paulo sedia exposição de fotojornalismo do Brics

Centro Cultural de São Paulo sedia exposição de fotojornalismo do Brics

Evento reúne 100 imagens de fotógrafos de agências de notícias dos cinco países do grupo, antecedendo a Cúpula do Brics que ocorre em Brasília nos dias 13 e 14 de novembro

Na véspera da realização do 4º Fórum de Imprensa dos Brics, grupo de países emergentes integrado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, foi inaugurada a terceira edição da Exposição Conjunta de Fotos das Mídias do Brics, nesta quarta-feira (30/10), no Centro Cultural São Paulo. A entrada é grátis e as obras poderão ser vistas até o dia 10 de novembro na capital paulista.

As edições anteriores da exposição fotográfica ocorreram em Pequim, em 2018, e em Johannesburgo, em 2017, sedes dos países onde ocorreram os últimos encontros de chefes de estado dos países do grupo.

A 11ª Cúpula do Brics será realizada em Brasília nos dias 13 e 14 de novembro, no Palácio do Itamaraty. O lema da Cúpula será  “Brics: crescimento econômico para um futuro inovador”.

A curadoria da exposição selecionou 100 fotos das agências de notícias dos cinco países do Brics, como Xinhua, da China, CMA, do Brasil, Tass e Sputnik, ambas da Rússia.

As personalidades brasileiras Pelé e Fernanda Montenegro são alguns dos destaques das imagens da amostra que também incluem o Cristo Redentor, no Rio, a Praça da Paz Celestial, em Pequim, e a Praça Vermelha, em Moscou.

O Fórum do Brics tem como objetivo aprofundar a cooperação da mídia na construção da comunidade do Brics, que reúne quase 3 bilhões de pessoas debatendo o papel da mídia e o desenvolvimento de novas tecnologias midiáticas no avanço desse processo de cooperação. 

A inauguração da exposição contou com as presenças do editor-chefe da Agência de Notícias Xinhua e presidente-executivo do Fórum, He Ping , e do presidente do Grupo CMA, José Juan Sanchez. Ambos valorizaram a cooperação entre os países do grupo.

Origem

O termo Brics nasceu em 2001, a partir de um anagrama para os países emergentes de crescimento rápido cunhado pelo economista Jim O’Neill, Goldman Sachs. Em 2006, os chanceleres de Brasil, Rússia, Índia e China começaram a se reunir informalmente em grupos de trabalho à margem da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em busca de diálogos de cooperação. Entre 2003 e 2007, o crescimento dos quatro países originais representou 65% da expansão do Produto Interno Bruto (PIB) mundial.

A primeira cúpula com chefes de Estado do Bric foi realizada em 2009, em Ecaterimburgo, na Rússia. A África do Sul, foi incluída formalmente em 2011, adicionando o “s” ao anagrama. Entre os resultados desses estão o lançamento das duas primeiras instituições do mecanismo: o Novo Banco de Desenvolvimento (NDB) e o Arranjo Contingente de Reservas (ACR).

De acordo com informações do Ministério das Relações Exteriores, que está organizando a Cúpula, a presidência brasileira organizará dezenas de eventos e reuniões que terão como prioridades “o fortalecimento da cooperação em ciência, tecnologia e inovação; o reforço da cooperação em economia digital; o adensamento da cooperação no combate aos ilícitos transnacionais, em especial ao crime organizado, à lavagem de dinheiro e ao tráfico de entorpecentes”.

Fonte: correiobraziliense

Leave a comment

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *