Complexo arquitetônico russo do século 12 é incluído na Lista de Patrimônio Mundial da Unesco

Complexo arquitetônico russo do século 12 é incluído na Lista de Patrimônio Mundial da Unesco

No último domingo (7), seis novos locais culturais foram adicionados à Lista de Patrimônio Mundial da Unesco, incluindo um grupo de monumentos antigos na Rússia – as chamadas Igrejas da Escola de Arquitetura de Pskov.

Localizado em uma das cidades mais antigas da Rússia, o grupo de monumentos inclui igrejas, catedrais, mosteiros, torres de fortificação e edifícios administrativos construídos pela Escola de Arquitetura de Pskov. Os edifícios apresentam características como volumes cúbicos, cúpulas, varandas e campanários, e seus elementos mais antigos remontam ao século 12.

Uma das principais faculdades de arquitetura do país, que atingiu seu auge nos séculos 15 e 16, a Escola de Pskov foi inspirada pelas tradições bizantina e da Novogárdia e contribuiu para o desenvolvimento subsequente da arquitetura russa.

Entre os monumentos incluídos na lista estão as torres Pokrovskaia (da Intercessão), do século 15, e Gremiatchaia, do século 16, da Fortaleza de Pskov; as igrejas do século 12 a 15, e edifícios do Monastério Spaso-Mirojski, que datam do século 12.

Durante a Revolução Bolchevique de 1917, igrejas por todo o país foram destruídas, mas diversos dos monumentos de Pskov sobreviveram. “Pskov teve sorte porque poucas construções foram destruídas após a revolução. Durante os tempos soviéticos, só algumas igrejas foram fechadas, outras foram destruídas durante a guerra, mas a maioria destas haviam sido construídas no século 18. Todos os edifícios mais antigos sobreviveram”, disse a historiadora russa Taisia Kruglova à RFE/RL.

Até o século 18, Pskov desempenhava o papel de cidade fortaleza – seus antigos elementos de fortificação foram usados ​​até a Grande Guerra do Norte (1700 a 1721). Depois de uma ocupação alemã de 9 meses em 1918, a cidade ficou sob o controle bolchevique, e alguns monumentos históricos foram saqueados.

Durante a Segunda Guerra, Pskov foi capturada pelos alemães mais uma vez – desta vez, muitos dos edifícios acabaram sendo destruídos. Apenas cerca de 15% das construções sobreviveram, e diversos monumentos ficaram danificados. Com o fim do conflito, em 1945, as autoridades soviéticas selecionaram Pskov entre as 15 antigas cidades russas que deveriam ser restauradas.

As autoridades da região de Pskov esperam que a decisão da UNESCO ajude a aumentar o fluxo de turistas estrangeiros que visitam a região. “Nós trabalhamos duro para isso”, disse o governador regional, Mikhail Vedernikov.

“Por um lado, [a inclusão na lista] significa que teremos certa responsabilidade, porque será mais difícil realizar obras de renovação dos edifícios. Mas, por outro lado, esse passo indica um reconhecimento do valor único de nossos locais históricos e culturais. Além disso, é um bom motivo para mais turistas virem”, acrescentou.

Segundo o governador, a coleção “Igrejas da Escola de Arquitetura de Pskov” apresenta 10 dos monumentos antigos da cidade. “Compilamos a lista com muito cuidado, porque é possível torná-la duas ou três vezes mais longa. Mas o problema é que não podemos restaurar os monumentos que são protegidos pela Unesco de forma independente: há um procedimento complexo para organizar as obras, que inclui limitações significativas. Por isso, nomeamos apO complexo se tornou o 18º local cultural na Rússia incluído na Lista de Patrimônio Mundial da Unesco. Entre os monumentos mais conhecidos estão o Kremlin e a Praça Vermelha de Moscou, além dos Monumentos Brancos de Vladímir e Suzdal.enas esses 10 prédios, pois estão em boas condições”, explicou Vedernikov.

Fonte: Russia Beyond

Leave a comment

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *