Fórum Municipal dos BRICS inaugura uma nova fase de cooperação

Fórum Municipal dos BRICS inaugura uma nova fase de cooperação

O Primeiro Fórum Internacional dos Municípios BRICS foi realizado de 19 a 22 de setembro, com o apoio do Ministério das Relações Exteriores da Federação Russa, no âmbito do projeto de cooperação municipal internacional do BRICS. O evento atraiu a participação dos municípios do BRICS e contou com a presença de representantes do Brasil, Índia, China e República da África do Sul.

A cidade de São Petersburgo, na Federação Russa, sediou de 19 a 22 de setembro o I Fórum Internacional dos Municípios BRICS. A iniciativa partiu do distrito russo de Kupchino, parte do município de São Petersburgo, e do Ministério das Relações Exteriores daquele país. Delegações compostas por representantes dos municípios e do empresariado de Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul discutiram métodos, projetos e diretrizes para intensificar e enraizar a ideia dos BRICS nas bases dos países e fortalecer ainda mais a influência do bloco de cooperação na governança global e na promoção do desenvolvimento econômico dos países participantes.

Desde 2006 a ideia dos BRICS é desenvolver as relações internacionais a um novo patamar onde os valores da não interferência, da igualdade e do benefício mútuo sejam o tripé da consolidação da multipolaridade mundial. O mundo multipolar é aquele em que as Nações soberanas possam ter as condições garantidas para se desenvolver e percorrer com as próprias pernas o caminho que bem decidirem trilhar, preservando as regras estabelecidas pelo direito internacional em busca da boa convivência global. Os BRICS nasceram com o grande objetivo de conduzir a humanidade rumo ao futuro, século XXI adentro.

O Fórum Internacional dos Municípios BRICS é desenvolvido sob o alicerce das PPPs (Parcerias Público-Privadas) onde o poder público apresenta seus projetos de desenvolvimento econômico à investidores interessados em internacionalizar seu capital diretamente nos municípios dos 5 países. A ideia nasceu durante a cúpula dos BRICS de 2018, na África do Sul, com a intenção de fortalecer o intercâmbio comercial e financeiro mas, sobretudo, de viabilizar as iniciativas das prefeituras em busca da promoção do progresso estrutural, arquitetônico, da criação de emprego e renda. A plataforma será um meio perene de trocas de informações entre municípios e investidores.

Ainda, a recém-inaugurada estrutura de cooperação intermunicipal visa promover a troca de experiências e soluções para os problemas enfrentados pelos cidadãos e cidadãs no cotidiano das cidades. A projeção é que dentro de 3 anos mais de 13.000 participantes estejam compartilhando inovações em políticas públicas, educação, zeladoria, segurança pública, saneamento básico, mobilidade urbana, ressignificação dos espaços urbanos, incentivo ao desporto, intercâmbio cultural e o estreitamento dos laços de amizade e solidariedade entre os povos irmãos.

A delegação brasileira composta por representantes de cidades como Guarulhos, Santa Isabel, São João da Boa Vista, Leme, pela Associação Paulista de Municípios e por empresários paulistas, apresentou projetos de desenvolvimento em todo o território nacional. Em destaque o projeto da Arena Multiuso em Guarulhos, o Mirante Gastronômico em Santa Isabel, o projeto logístico Rio Brilhante na hidrovia Tietê-Paraná, a Usina de Lixo na cidade de São João da Boa Vista e um grande complexo turístico na cidade de Fortaleza. Foram mais de 15 projetos apresentados que, somados, representam uma possibilidade de mais de US$ 2 bilhões em investimentos diretos na economia nacional e já contam com interesse de investidores russos, indianos e sul-africanos.

A exitosa primeira edição do evento, que está programado para ser anual, já provoca desdobramentos geopolíticos de peso no cenário global. Anualmente os BRICS realizam de maneira oficial, além do encontro dos chefes de Estado, cúpulas sindicais, cúpulas de juventude, cúpulas de empresários e encontros entre os mais variados ministérios estratégicos para a cooperação entre os países. A Federação Russa, que sediará a cúpula dos países em 2020, já indicou através dos representantes do Ministério das Relações Exteriores que constará no calendário oficial dos BRICS 2020 a primeira cúpula de prefeitos da história do evento.

A iniciativa nasce num momento onde as cidades brasileiras passam por sérias dificuldades financeiras e desponta como uma grande oportunidade para que as prefeituras busquem soluções econômicas para viabilizar o desenvolvimento em nível municipal, contribuindo por consequência com a retomada do desenvolvimento econômico nacional, com o fortalecimento e aquecimento do mercado interno e também para o aumento da autonomia dos municípios em busca das soluções para os próprios problemas. Além de também promover riquíssimas oportunidades para que o empresariado brasileiro internacionalize seu capital e conquiste novos mercados.

Fonte: Vermelho

Leave a comment

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *