Mídia revela que EUA vão receber gás russo

Segundo escreve o jornal russo Kommersant, os EUA vão receber a primeira remessa de gás do projeto de extração de gás Yamal LNG.

De acordo com a edição, o navio gaseiro Gaselys da companhia francesa Engie, vai transportar gás liquefeito do porto britânico de Isle of Grain ao terminal norte-americano Everett, situado perto de Boston.

O navio gaseiro iniciou o carregamento no porto britânico logo depois do descarregamento do navio Christophe de Margerie com o primeiro fornecimento de gás liquefeito russo.

O Gaselys deve chegar aos EUA em 22 de janeiro.

Conforme escreve o Kommersant, "tal negócio estranho" é fruto do crescimento dos preços do gás na costa leste dos EUA até 6,3 mil dólares (20,4 mil reais) por metro cúbico. O aumento dos preços foi causado pelas condições meteorológicas extremas, em particular pela tormenta de neve.

Primeiro, a Novatek – acionista da Yamal LNG – planejava enviar a primeira remessa de gás natural liquefeito ao mercado asiático. A possível compradora era a Corporação Nacional de Petróleo da China (CNPC). Depois, o chefe da companhia Leonid Mikhelson disse que o fornecimento seria endereçado à sua companhia afiliada Novatek Gas & Power. Posteriormente, foi comunicado que ela seria enviada à filial de trading da malaia Petronas.

O Kommersant nota que "o fato de o comprador final ser a Engie pode ser explicado por a companhia possuir instalações reservadas de regaseificação no terminal de Everett para 6,9 bilhões de metros cúbicos por ano".

O projeto Yamal LNG prevê a construção de uma usina de produção de gás natural liquefeito com base nos recursos da jazida de Yuzhno-Tambeyskoye. Entre os acionistas estão a Novatek (50,1%), a Total francesa (20%) e a CNPC (20%) e Fundo Rota da Seda (9,9%) chinesas.

No âmbito deste projeto serão construídas três linhas tecnológicas com capacidade para 5,5 milhões de toneladas cada uma e uma complementar para um milhão. A produção de gás natural liquefeito na primeira linha tecnológica começou em dezembro de 2017.

Fonte: https://br.sputniknews.com/economia/2018010910237205-gas-liquefeito-fornecimentos-eua/