Gazprom

Acordo entre Opep e Rússia pode durar até 1º semestre de 2019, diz Gazprom Neft

A empresa russa Gazprom Neft disse nesta quinta-feira que a cooperação com os produtores da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) sobre a produção de petróleo pode durar até o primeiro semestre de 2019.

Sergey Vakulenko, chefe de planejamento estratégico, disse que a empresa estava baseando seu planejamento nesse pressuposto.

Gazprom continua a crescer na Europa

Gigante russa do gás quer aumentar capitalização e atrair novos investidores no continente.

A participação da maior gigante estatal russa do gás, a Gazprom, cresceu 3% na Europa em 2016, chegando a 34% desse mercado, de acordo com o vice-presidente do conselho da holding, Aleksandr Medvedev.

"No ano passado, fornecemos 197,3 bilhões de metros cúbicos de gás natural liquefeito (GNL) à Europa, ou seja 12,5% a mais que em 2015. Nossa participação no mercado europeu subiu para 34%”, declarou Medvedev.

Gazprom contornará Ucrânia para abastecimento europeu

Comissão Europeia autorizou Gazprom a usar gasoduto Opal, que liga Nord Stream a República Tcheca e Alemanha. País evita, assim, passagem pela Ucrânia e reduz custos de transporte.

A Comissão Europeia decidiu retirar 50% da capacidade do gasoduto Opal das normas do Terceiro Pacote Energético, que limita o controle de empresas energéticas sobre as redes de distribuição.

Assim, a gigante estatal russa do gás Gazprom terá acesso ao gasoduto europeu, ligando o russo Nord Stream à República Tcheca e à Alemanha pela primeira vez desde seu lançamento, em 2011.

'Europa não tem alternativa ao gás russo'

A Sérvia, ao comprar o gás russo, paga 39% menos do que se comprasse de fornecedor, disse em uma entrevista Dusan Bajatovic, presidente da empresa estatal de gás Srbijagas. Ele também manifestou esperança de que o projeto do gasoduto South Stream (Corrente do Sul) seja retomado.

Em entrevista ao jornal sérvio Danas, Dusan Bajatovic desfez o mito de que a Gazprom não dá facilidades ao seu parceiro estratégico.

“Isto é a mentira escandalosa… a Sérvia paga $138 por cada mil metros cúbicos de gás da Rússia”, disse Bajatovic.