Jungmann: EUA, Rússia, França e Israel querem lançar satélites no Brasil

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, reafirmou nesta quarta-feira que há pelo menos quatro países interessados em lançar satélites a partir do Centro Nacional de Alcântara, no Maranhão: Rússia, França, Israel e Estados Unidos, com quem o Brasil já vinha negociando um acordo de salvaguardas para uso da base. "São apenas alguns", disse ele.

Moscou ocupa 7º lugar em ranking global de melhores cidades para varejo

Entrada de 39 marcas internacionais em 2016 ajudou capital russa a garantir vaga no top 10 das melhores cidades para varejistas, de acordo com pesquisa anual da consultoria CBRE. Londres, Hong Kong e Dubai ocupam três primeiros postos.

Quase 40 grandes marcas internacionais foram lançadas no mercado de Moscou em 2016, entre elas a relojoaria suíça Rolex e a grife norte-americana Victoria’s Secret.

Segundo os dados compilados pela consultoria imobiliária CBRE, cerca de 70% das novas marcas na cidade pertencem aos mercados de moda, cosméticos e alimentação.

Brasil autoriza importação de pescado russo

Na última quarta-feira (24), a Rússia recebeu a autorização para fornecer pescados ao Brasil. Agora, Moscou pretende solicitar autorização para iniciar as exportações de grãos.

Durante encontro com representantes Ministério da Agricultura do Brasil em Brasília, Moscou negociou e autorizou certificados veterinários para a importação de peixes e derivados da Rússia, de acordo com o Serviço Federal de Vigilância Sanitária e Fitossanitária da Rússia (Rosselkhoznadzor).

A parte brasileira confirmou que fornecedores russos poderão começar a abastecer o mercado local.

Moody's: PIB russo crescerá 1,5% em 2017 e 2018

A agência de classificação de riscos Moody's afirmou hoje que o Produto Interno Bruto (PIB) da Rússia terá um crescimento real de 1,5% neste ano e no ano que vem, à medida que a economia do país segue se recuperando de um período de recessão provocado pela queda no preço do petróleo e pelas sanções ocidentais.

"A Moody's prevê que o crescimento real do PIB será de 1,5% por ano em 2017 e 2018", diz o comunicado divulgado pelo serviço de investidores da agência.

Prefeito do Rio de Janeiro visita Moscou para conhecer processo de renovação da cidade

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, começou segunda-feira uma visita oficial a Moscou para entender o processo de renovação do centro da cidade.

Crivella conheceu um dos 127 centros de serviços de inovação da cidade. O local, parte dos esforços do governo local para desburocratizar serviços públicos, permitiu uma diminuição considerável no tempo de emissão de passaportes, títulos de propriedade, entre outros.

Rússia supera Arábia Saudita como principal fornecedora de petróleo para China pelo 2° mês

A Rússia manteve-se em primeiro lugar como fornecedor de petróleo para a China, superando a Arábia Saudita pelo segundo mês consecutivo, enquanto as refinarias independentes recebiam mais volumes antes do primeiro lote de cotas expirar.

Arábia Saudita e Rússia, que disputam mais participação de mercado na China, disseram que apoiam uma extensão do corte de produção de petróleo até março de 2018 para conter um excesso da commodity e elevar os preços.

Turra assume a presidência do Conselho Empresarial Brasil-Rússia

São Paulo, 23 de maio de 2017 - O presidente-executivo da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Francisco Turra, assumiu a presidência do Conselho Empresarial Brasil-Rússia. A posse ocorreu durante encontro da X Comissão Intergovernamental de Cooperação (CIC) Brasil-Rússia, nesta segunda-feira (22), em Brasília (DF).

Contando com o suporte do presidente da Câmara Brasil-Rússia, Gilberto Ramos, o Conselho tratará de oportunidades de negócios e questões de interesse comum aos dois países.

Brasil e Rússia debatem em Brasília comércio, cooperação energética, econômica e industrial

Representantes dos governos do Brasil e da Rússia e empresários dos dois países estarão reunidos nesta segunda-feira (22/05) em Brasília para uma ampla discussão sobre o momento atual e perspectivas futuras do intercâmbio bilateral que segue cada vez mais distante da meta estabelecida há alguns anos pelos dois países de levar o fluxo de comércio brasileiro-russo ao patamar de US$ 10 bilhões.

Páginas