Secretário prevê melhora de exportações e importações em 2017

O secretário de Comércio Exterior do Ministério da Indústria, Abrão Neto durante coletiva de divulgação de dados da balança comercial brasileira em 2016

O Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços prevê recuperação das exportações e importações brasileiras em 2017 e um superávit no mesmo patamar do registrado em 2016, de US$ 47,69 bilhões. As informações são do secretário de Comércio Exterior da pasta, Abrão Neto, que comentou hoje (2) o superávit de 2016, o maior desde o início da série histórica do governo, em 1989.

BNDES começa a divulgar informações sobre investimentos em empresas

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) começou a divulgar hoje (26) informações completas sobre os investimentos de sua carteira de renda variável da BNDESPar, subsidiária do banco para participações em empresas privadas. Os dados abrangem dez anos, entre 2007 a 2016. Segundo a diretora da Área de Mercado de Capitais, Eliane Lustosa, o objetivo é aumentar a transparência dos investimentos, feitos com dinheiro público. “Esta é mais uma etapa de transparência, de prestar contas à sociedade, das suas atividades.

Rússia não decola no mercado brasileiro de exploração espacial

Em anúncio recente, a Agência Espacial Brasileira divulgou que o Centro de Lançamento de Alcântara, maior base de lançamento de foguetes do país, poderá ser disponibilizado para os EUA. Trata-se de um final decepcionante para a cooperação brasileiro-ucraniana no campo da exploração espacial.

Financial Times: investidores regressam à Rússia graças a Trump

O otimismo dos investidores em relação à Rússia cresceu. Um colunista do Financial Times explica as possíveis razões para o retorno do capital estrangeiro para a economia russa.

O investimento em títulos russos atingiu na última semana de janeiro níveis recorde graças ao retorno dos investidores para a Rússia. O seu otimismo é motivado pelo aumento dos preços do petróleo e a eventual melhoria das relações entre a Rússia e os EUA, escreve Eric Platt, colunista do Financial Times.

Empresa russa vai fornecer urânio ao Brasil

A empresa Uranium One Inc., que integra a estatal Rosatom Uranium One, venceu o concurso internacional para o fornecimento em 2017 de 400 toneladas de urânio natural para as Indústrias Nucleares do Brasil (INB), empresa especializada na produção de combustível para usinas nucleares, informou o serviço de imprensa da Uranium One Inc.

Os resultados do concurso foram publicados no diário oficial do Governo do Brasil.

Petroleiras russas podem acelerar cortes de produção em fevereiro, diz ministro

As empresas russas podem cortar a produção de petróleo mais rapidamente do que o inicialmente acordado com a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), disse o ministro russo da Energia, Alexander Novak, nesta quinta-feira.

"Esperamos que as empresas se apeguem aos planos que elas tinham apresentado inicialmente. Este é o cenário base. É possível que elas acelerem (cortes na produção de petróleo em fevereiro)", disse Novak a repórteres em Budapeste.

Trump: relações russo-americanas devem 'seguir em frente'

Tendo em conta as preocupações de alguns senadores no país quanto às relações russo-americanas, o presidente dos EUA, Donald Trump, considera que ambos os países "devem seguir em frente", declarou à Sputnik o conselheiro de Trump para a política exterior durante a companha eleitoral, Walid Phares.

De acordo com Phares, muitos legisladores norte-americanos apontam para o caráter controverso das relações entre a Rússia e os EUA, bem como para "os numerosos problemas que vieram do passado e continuam existindo até hoje."

Páginas