Banco do BRICS vai aumentar visibilidade e caráter institucional do bloco

O Novo Banco de Desenvolvimento dos BRICS será uma alternativa ao Fundo Monetário Internacional (FMI) e ao Banco Mundial, embora Mboweni admita casos de trabalho em conjunto com esta. O início de operação da instituição do quinteto formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul acontecerá no primeiro trimestre de 2016.

O capital inicial do Novo Banco de Desenvolvimento dos BRICS, que terá sede em Xangai, é de US$ 50 bilhões. O primeiro presidente será o indiano Kundapur Vaman Kamath.

Economista russo diz que Banco do BRICS já repercute positivamente na economia

Nos dias 9 e 10 de julho será realizada em Ufa, na Rússia, a reunião de Cúpula dos BRICS e a reunião do Conselho dos Líderes de Países-Membros da Organização para a Cooperação de Xangai. Sobre esse assunto, a Sputnik conversou com o economista Viktor Ivanovich Grishin, reitor da Universidade de Economia da Rússia Plekhanov.

BRICS treinam com AIIB antes de lançar seu próprio banco

Três países dos BRICS do continente eurasiático são também os três maiores acionistas do Banco Asiático de investimento em Infraestrutura (AIIB, na sigla em inglês), iniciativa com que a China blinda ainda mais o seu poderio econômico internacional.

Nesta segunda-feira, representantes de 50 países-cofundadores do AIIB assinaram, em Pequim, o acordo sobre a criação do banco, dando início formal à sua atividade.

Brasil irá comprar sistemas russos de defesa antiaérea

O Brasil planeja comprar os sistemas russos de defesa antiaérea Pantsir na primeira metade de 2016, disse o embaixador do país na Rússia, Antônio José Vallim Guerreiro.

“A decisão geral sobre a compra foi já tomada, por isso os sistemas serão comprados. Segundo a informação que eu possuo neste momento, a assinatura do acordo está prevista para a primeira metade do ano 2016”, disse em entrevista. 

Páginas