Rússia divulga calendário do BRICS para 2020 e diz que bloco é 'navio' que resiste às tempestades

Rússia divulga calendário do BRICS para 2020 e diz que bloco é 'navio' que resiste às tempestades

Vice-ministro interino das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Ryabkov, falou com repórteres sobre as expectativas e o calendário da presidência russa do BRICS em 2020.

O “navio” do BRICS deve resistir às atuais tempestades que assolam a política internacional, declarou o vice-ministro interino das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Ryabkov, nesta segunda-feira (20), em Moscou.

“O ‘navio’ do BRICS atravessa de forma confiante as ondas causadas pela tempestade que assola a política mundial, age de forma confiante nesses tempos difíceis de turbulência política, em condições de desequilíbrio da arquitetura econômico-financeira mundial”, disse Ryabkov na coletiva de imprensa.

O vice-ministro interino acrescentou que, para a Rússia, o BRICS é um exemplo de estabilidade e integridade independentemente da atual conjuntura mundial e das transformações de política interna nacionais.

“Tal como as presidências anteriores, nos esforçaremos para obter avanços nas três áreas da parceria estratégica do BRICS: política e segurança, economia e finanças e contatos culturais e sociais”, notou Ryabkov.

Temas como o combate ao terrorismo, à lavagem de dinheiro, ao tráfico internacional de drogas, à corrupção e ao crime organizado internacional devem ser priorizados pelo BRICS em 2020.

“Para nós, as tarefas fundamentais da agenda política são a promoção de uma agenda global unificadora, a contribuição para a construção de uma ordem mundial mais democrática, baseada na observância das normas e princípios geralmente aceitos do direito internacional, inclusive os previstos na Carta da ONU”, disse o vice-ministro.

Anteriormente, Ryabkov havia informado que o tema da segurança cibernética deve ocupar um lugar de destaque na agenda do bloco em 2020.

Calendário do BRICS para 2020

O vice-ministro interino disse esperar que todos os líderes do BRICS compareçam às comemorações dos 75 anos da Vitória na Segunda Guerra Mundial, a serem realizadas em Moscou no dia 9 de maio.

“Todos os líderes dos países do BRICS foram convidados para comparecer a esse evento. Nós gostaríamos e esperamos que todos eles venham a Moscou nesse dia”, declarou Ryabkov.

A Cúpula de Chefes de Estado do BRICS, o principal evento do ano, deve ser realizada entre os dias 21 e 23 de julho de 2020, na cidade russa de São Petersburgo. Na ocasião, também será realizada a cúpula da Organização para Cooperação de Xangai (OCX), informou o vice-ministro.

A Conferência de Ministros das Relações Exteriores do BRICS deve ser realizada em Moscou, entre os meses de março e maio de 2020.

Ryabkov disse haver a possibilidade dos líderes dos BRICS se reunirem informalmente em maio, mas confirmou que a tradicional reunião informal anual está prevista para ocorrer em novembro de 2020, em Riad, na Arábia Saudita, à margem do encontro do G20.

A presidência russa do BRICS deve promover mais de 150 eventos nos mais diversos níveis, inclusive duas cúpulas e 20 encontros ministeriais.

Além de Moscou e São Petersburgo, a cidade russa de Chelyabinsk deve receber um número significativo de eventos do BRICS.

“Nessa cidade [Chelyabinsk] iremos realizar o festival cultural dos países do BRICS e da OCX, jogos esportivos dos países do BRICS, o tradicional fórum sobre urbanização, o 3º fórum da juventude do BRICS e da OCX e os encontros no âmbito dos ministérios da Cultura, da Agricultura e do Trabalho”, informou o vice-ministro.

Outras cidades incluídas no calendário BRICS 2020 são Ekaterinburgo, Kazan, Novossibirsk, Samara, Saransk, Sochi, Ulianovsk, Ufa, Khanty-Mansiysk e Yaroslavl, todas na Rússia.

“O BRICS é um exemplo real de como é possível resolver temas complexos na base do consenso, do respeito pela soberania intocável dos Estados, da não interferência nos assuntos internos”, frisou Ryabkov.

No dia 1º de janeiro, a Rússia assumiu a presidência do BRICS, grupo de países que agrega o Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. O lema da presidência russa será “Parceria do BRICS no interesse da estabilidade global, segurança comum e crescimento da inovação”.

Independência financeira dos BRICS

O vice-ministro interino tratou de um tema caro à presidência russa, que será o estímulo ao uso de moedas nacionais no comércio internacional entre os membros do BRICS e a criação de sistemas de pagamentos seguros.

“A tendência é clara e, na nossa convicção, o volume de transações em moedas nacionais no comércio mútuo entre países do BRICS deve crescer. Isso se deve ao trabalho que intensificamos nos últimos tempos para criar instrumentos financeiros em moedas nacionais, inclusive a criação de um mercado de títulos de dívidas em moedas nacionais”, disse Ryabkov.

O vice-ministro também anunciou a intenção de criar um sistema de pagamentos internacional para o BRICS que possa funcionar como um análogo ao SWIFT, sistema utilizado por gigantes do mercado financeiro como a Visa e a Mastercard.

“Nossas entidades especializadas criaram um sistema de troca de dados bancários – seria um análogo ao sistema SWIFT. A Rússia está fazendo esforços consideráveis para ligar os parceiros do BRICS ao funcionamento pleno desse sistema”, disse.

“Consideramos que esse seria um primeiro passo muito relevante nessa área, que permitiria em grande medida que os membros do BRICS sejam menos expostos às manifestações voluntaristas da política de um conhecido grupo de Estados […] que periodicamente ameaçam […] restringir o acesso ao referido sistema SWIFT”, explicou Ryabkov.

Em julho do ano passado, o presidente russo, Vladimir Putin, havia apelou a que os países do BRICS realizassem transações comerciais e financeiras utilizando moedas locais.

Fonte:Sputnik

Leave a comment

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *